quinta-feira, 8 de março de 2012

Sobre relacionar-se

Eu não acredito em felicidade. Tampouco em fidelidade.
Todo mundo quer, em algum momento da vida, alguém ao seu lado, pra partilhar momentos, criar sua história.  Por mais galinha que as pessoas sejam um dia elas pensam que é hora de se aquietar, conhecer os pais dela, tomar sorvete juntinhos... Mas quanto tempo isso dura? Ou melhor, reformulando, por quanto tempo você acha que agüentaria viver uma “mesmice” com alguém? Por que , querendo ou não, sua vida acaba mudando e se padronizando. E uma hora cansa. E é aí, senhoras e senhores que entra a traição.
Dias atrás estava conversando com um amigo meu que gosto muito, que eu inclusive o chamo de “pirigueto” e ele teima que não é rs mas isso não vem ao caso. E falávamos justamente disso. Pode soar frio, como recalque (palavrinha que virou moda), como “mal comida”, ou qualquer coisa assim, mas eu sempre quis acreditar no amor, só que eu nunca consegui .
O que quero dizer é que, por maior que seja o amor, por mais lindo que seja, entre um casal, ele sempre acaba se desgastante, diminuindo, desaparecendo...
Então eu cheguei á conclusão, de que ninguém é fiel , nem mesmo por amor. Todo mundo já traiu, se não traiu vai acabar traindo e sendo traído, fato!
Se conforme, se ainda não aconteceu, com certeza acontecerá!
Acontece que algumas pessoas vão trair uma vez e isso vai bastar, já outras vão viver traindo e prejudicando seus respectivos amados. O que, aliás aconteceu comigo, mas isso também não vem ao caso.
Relacionamentos são difíceis, meu avô dizia que só comendo sal com a pessoa todo dia para conhecê-la de verdade, mas tenho que descordar dele, ainda assim é impossível conhecer 100% da pessoa, ainda não aprendemos a ler pensamentos não é mesmo (graças a Deus!).


Nenhum comentário:

Postar um comentário